Tratamento Para Alcoolismo

ALCOOLISMO

O Alcoolismo é uma doença crônica onde uma pessoa possui uma vontade descontrolada, uma obsessão, de consumir bebidas alcoólicas. Esta incapacidade de controlar esta vontade, provoca um consumo repetido de álcool apesar dos problemas de saúde, sociais e familiares serem sabidos pelo usuário, o vício os impede de interromper o consumo. É uma doença mundial, que não escolhe classe social, raça, idade e nem religião.

O alcoolismo, também conhecido como “síndrome da dependência do álcool”, é uma doença que se desenvolve após o uso repetido de álcool. Um dado importante é que, quanto mais cedo a pessoa começa a consumir bebidas alcoólicas, maiores são as probabilidades de se tornar um alcólatra, desta forma, cuidar hoje de nossa juventude é previnir problemas futuros e buscar reduzir os índices de alcoóltras.

 

SINTOMAS DE UM ALCOÓLATRA

Quando não estamos acostumados a lidar com alcoólatras, geralmente temos dificuldade para reconhecer os traços, especialmente quando a pessoa está no início do vício. Nesse período, a primeira coisa que você deve observar é a frequência com que a pessoa bebe. Quem não consegue se controlar e bebe durante o decorrer da semana já está começando a desenvolver um vício e não se dá conta disso.

Mas existem outros sintomas que acompanham a pessoa desde o início do vício, mas que se acentuam bastante depois de algum tempo. Esses são (e estão associados a):

  • Ansiedade;
  • Irritabilidade;
  • Excitabilidade;
  • Esquecimento;
  • Confusão mental;
  • Coloração amarelada da pele e das mucosas;
  • Falta de coordenação motora.

Os sintomas podem ser todos ou somente alguns destes. É a maneira mais fácil de identificar quando uma pessoa está se tornando viciada em bebida alcoólica.

Como funciona o tratamento para alcoolismo?

 

Mesmo quem é dependente do álcool costuma precisar de internação, a fim de iniciar o tratamento pela desintoxicação, uma parte fundamental do processo, mas que não é a única e sim apenas o primeiro passo de uma longa jornada.

Na sequência, são os tratamentos comportamentais cognitivos que entram em cena.

Eles possuem a meta de desenvolver o autocontrole do paciente, bem como as habilidades sociais que, muitas vezes, é preciso reaprender, bem como restabelecer a sua moralidade, que pode ser totalmente abalada pelo vício.

Esse trabalho conjunto busca tratar o emocional e o psicológico do paciente.

Na grande maioria dos casos para não dizer que a sua totalidade, os dependentes são levados ao vício do álcool devido a problemas que o precedem.

Isso é, inclusive, uma realidade principalmente das mulheres, assim, quando os problemas anteriores ao vício são identificados, trabalhados e tratado, as chances de obter maior sucesso no tratamento para alcoolismo são maiores.

Nesse sentido, é importante dizer que tratar a causa do problema se constitui a forma mais assertiva de ajudar o paciente a se reabilitar.

Além disso, o vício costuma provocar uma série de problemas e, quando o paciente já se encontra melhor, pronto a se inserir na sociedade, é fundamental que ele esteja apto a reconstruir o que foi destruído em sua vida.

É nessa hora que o apoio dos familiares e pessoas queridas próximas é de extrema importância, porque é com isso que o paciente vai ter as forças necessárias para recomeçar.

Para dar conta de todas as necessidades que o paciente possui ao iniciar o tratamento para alcoolismo, é preciso de uma equipe multidisciplinar, com profissionais capacitados a tratar os seguintes aspectos:

  • Sociais;
  • Psicológicos;
  • Profissionais;
  • Jurídicos, ainda mais quando o paciente deve lidar com posteriores questões na esfera judicial.

Para tanto, é preciso contar com os seguintes profissionais:

  • Médicos clínicos;
  • Psiquiatras;
  • Psicólogos;
  • Terapeutas ocupacionais;
  • Educadores físicos;
  • Assistentes sociais;
  • Enfermeiros

Etapas do tratamento para alcoolismo

Em termos gerais, o tratamento para alcoolismo conta com as seguintes etapas:

  • Desintoxicação intensiva
  • Reabilitação individualizada.
  • Conscientização quanto à dependência.

Embora essa seja a ordem mais comum, é possível que conforme o caso até mesmo ela seja alteradas.

No entanto, o mais importante é que esses três momentos façam parte do tratamento, os quais são aplicados de modo diverso, porque entre as prioridades do atendimento está o de oferecer aos pacientes um tratamento individualizado.

O atendimento personalizado é um dos principais aspectos dos tratamentos para alcoolismo, já que cada pessoa é uma, com necessidades específicas, comportamentos variados e que apresenta causas diversas para o seu quadro.

Um procedimento único tiraria a individualidade que todo mundo possui, assim, é desenvolvido um programa de reabilitação particular.

Quanto à duração do tratamento, ele também é personalizado, de acordo com as necessidades de cada paciente, pois eles podem reagir não só de forma diferente como também em períodos mais curtos ou longos de tempo.

Respeitar isso é mais uma questão essencial para garantir a reabilitação do paciente.

Importância da família no tratamento

De acordo com as peculiaridades do indivíduo ele pode levar mais ou menos tempo para livrar-se do vício, por isso, ao iniciar o tratamento é preciso que não só o paciente como os demais envolvidos, como as pessoas que o estão apoiando, saibam que se trata de um processo que pode ser lento.

Além da família estar presente, ela mesma deve receber a atenção necessária pela equipe que está atendendo o paciente.

Não raro, o alcoolismo de um dos membros da família pode desencadear uma série de acontecimentos que leva ao enfraquecimento dos elos afetivos e emocionais que os unem.

Também é preciso que a família entenda que o alcoolismo se trata de uma doença crônica, que merece cuidado, atenção e tratamento permanente.

Ela deve aprender a lidar com o dependente em possíveis recaídas futuras e a como ajudá-lo na sua prevenção.

Assim como o paciente pode frequentar grupos de apoio após a sua reabilitação para a manutenção do tratamento, conforme a situação, a família também pode ser convidada a participar de grupos de apoio direcionados aos familiares do dependente em tratamento.